Exatamente há dez anos publicamos nosso newsletter numero 98 (10/02/2006). Resolvi republicar com a intenção de provocar a reflexão sobre: AFINAL HOUVE EVOLUÇÃO?

 

VIVENDO A LOGÍSTICA

VAREJO INICIA CICLO DA PRODUTIVIDADE EM LOGÍSTICA

Com a implementação do Palete PBR, o segmento de supermercados, o mais importante na distribuição de bens de consumo do Brasil, iniciou um ciclo de produtividade nas atividades de Logística, sendo que, naquela oportunidade, Logística neste setor significava apenas armazenagem e transporte.

Naquela época, o Brasil vivia o Governo Collor e, como é do conhecimento de todos, o Plano Collor. Portanto, um período de grande turbulência na economia brasileira. Nesse período, os custos financeiros e a gestão do fluxo de caixa sempre foram mais importantes que o custo logístico.

Em 25/05/90, escrevi um artigo publicado no jornal “O Estado de S. Paulo”, que você pode ler acessando o link abaixo.

<Eficiência e Produtividade no Varejo>

O profissional de Logística hoje precisa necessariamente conhecer a evolução do seu setor, considerando todos os fatores econômicos, financeiros, políticos, tecnológicos etc., para poder compreender as melhores práticas para este ano de 2006.

NÃO EXISTE FUTURO SEM PASSADO. E O PASSADO NÃO SERVE SÓ PARA A HISTÓRIA!


PONTO DE VISTA

DISTRIBUIÇÃO URBANA

Praticamente em todas as cidades do Brasil, os alunos voltaram às aulas, com isso para o problema das grandes cidades voltaram os problemas de trânsito. E com o trânsito voltaram os problemas da Distribuição Física. Novamente, nós percebemos que a imprensa sempre diz que o vilão é o caminhão . Isso me fez refletir um pouco e buscar nos meus arquivos um artigo que escrevi para o Jornal “O Estado de São Paulo” no dia 10 de abril de 1990, portanto há quase 16 anos, no qual já chamávamos a atenção nesse artigo sobre alguns aspectos voltados da Distribuição Urbana.

Destacando em primeiro lugar, a velha solução da Distribuição Noturna que nós sabemos que mesmo nestes 16 anos, as cidades como: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, todos investiram na infra-estrutura. A infra-estrutura viária continua a mesma, no entanto, aquilo que eu chamo de modais urbanos, quais sejam: automóveis, ônibus, vans, caminhões, bicicletas, motocicletas, convivem no mesmo espaço. Sendo assim, a distribuição urbana é uma atividade iminentemente profissional e tem o impacto logístico muito grande, porque o mercado precisa ser abastecido.

Eu quero exortar à você Profissional de Logística, nesse início de 2006 preste mais atenção em novas soluções criativas, que permitam otimizar a Distribuição Urbana, fazendo que o seu produto esteja no ponto de venda quando o consumidor deseja comprá-lo e que essa distribuição urbana tenha maior produtividade. Existem soluções, algumas passam pela área operacional, outras pela área técnica, outras pela área legal e até mesmo exortando novamente pela sua criatividade.

J.G. Vantine.

IMAGEM