VIVENDO A LOGÍSTICA

PALETE PBR VAI SE CONSOLIDANDO

Implantado em meados de 1.990, o Palete PBR, terminando a primeira fase de implantação, já sendo utilizado mais de 30 mil unidades, conforme mostra a matéria publicada na Revista SuperHiper de Novembro de 1992.

Conheça como tudo evolui para que você possa compreender os próximos passos da evolução.

Palete PBR

J.G. Vantine.

 


PONTO DE VISTA

A LOGÍSTICA REGIONAL NO CONTESTO GLOBAL

Entre os dias 12 e 13 deste mês está sendo realizado o 6º LOGISVALE na cidade de São José dos Campos, produção da Nanquim GR1000 com apoio técnico da VANTINE SOLUTIONS. Montamos especialmente para este evento dois painéis de grande importância da região geográfica compreendido pelo interior de São Paulo, Vale do Paraíba, Sul de Minas e Sul do Rio de Janeiro.

O primeiro denominamos de “Corredor Aéreo de Exportação/Importação”. Trata-se de uma articulação que venho executando há cerca de dois anos a partir de uma iniciativa resultante de um projeto que executamos para oCIEAM – Centro das Indústrias do Estado do Amazonas e aSUFRAMA – Superintendência da Zona Franca de Manaus, denominado CLAD, e posteriormente adicionado ao excelente trabalho de produtividade nas operações de carga aérea no terminal de Viracopos e atualmente em fase de implantação no terminal de Guarulhos pela INFRAERORegião Sudeste. Em paralelo venho articulando junto àVARIGLOG, que neste momento já superou todas as dificuldades societárias, já tendo incorporado várias aeronaves B757 e a partir daí formulando uma solução, embora regional, tem abrangência nacional e internacional. Este corredor aéreo envolve a utilização do TECA de São José dos Campos onde são paletizadas/despaletizadas as cargas para o mercado (northbound e southbound) desta região com destino aos EUA com a implantação do vôo de freqüência regular: SJK/GRU/MAO/MIA. Num primeiro momento no trecho SJK/GRU haverá o trânsito aduaneiro já com a carga liberada em SJK com tempo de antecedência cronometrado de apenas 5 horas antes da decolagem deGRU. Posteriormente, a depender do sucesso, a VARIGLOGtem planos de eliminar o trânsito rodoviário e colocando vôo partindo direto de SJK.

O segundo denominado: “O cenário atual e as perspectivas relacionadas ao Complexo Ayrton Senna, Carvalho Pinto, D.Pedro, Tamoios e Porto São Sebastião”. Trata-se de uma antiga reivindicação das empresas importadoras e exportadoras, naturalmente usuário do Porto de São Sebastião, Porto de Sepetiba, Porto Paranaguá e Porto de Itajaí, visando a operacionalização regular do Porto de São Sebastião. Este projeto foi denominado originalmente pelo Governador de São Paulo como:“Corredor Auxiliar de Exportação ao Porto de Santos”. Na verdade trata-se de um grande empreendimento que envolve investimento acima de R$1 bilhão que deverão ser investidos certamente através das PPPs. É disso que falará o Presidente da DERSA do Governo do Estado de São Paulo, abrindo novas oportunidades para os pacotes de concessão para o Complexo compreendido pelas rodovias D. Pedro (ligando o Triângulo Mineiro, Sul de Goiás, Interior de São Paulo via Campinas até o Complexo Ayrton Senna/Carvalho Pinto), Carvalho Pinto/Ayrton Senna (ligando São Paulo até Taubaté) e a Rodovia dos Tamoios (ligando São José dos Campos até São Sebastião). Além disso, envolve também a construção de um anel viário entre as cidades de Caraguatatuba e São Sebastião no litoral norte do Estado de São Paulo (obra também importante pela instalação da nova central de produção de gás, implantada pela Petrobrás exatamente entre estes dois municípios). E finalmente para completar este cenário, estuda-se a privatização do Porto de São Sebastião, hoje administrado pela DERSA.

São planos em fase final de viabilização. Os interessados devem ficar atentos.

J.G.Vantine